Follow by Email

quinta-feira, 18 de abril de 2013

A flor do campo é o alecrim -xoxo

"Gossip Girl here your one and only source into the scandalous lives of Manhatten's elite"
Ontem vi seu último -xoxo, e ai lembrei de que comecei a escrever o Inside.R justamente por estar assistindo esse seriado. Eu não preciso dizer da melhora considerável que tive no meu inglês, sem falar na constante adrenalina de descobrir quem era a tal da gossip girl. E desde o princípio eu desconfiei dessa pessoa. ACERTEI! (But who is she? That's another secret I'll never tell. You know you love me. Xo xo Gossip Girl).
Além do inglês e de gostar muito eu tenho percebido que ultimamente me preocupo mais com as coisas que me fazem bem. E acima de tudo tenho vivido aqueles dias de filmes da Disney de "acreditar em si mesmo".
Dizem que você deve pensar nos outros e não em si mesmo, mas assim como tudo na vida, tem que haver um equilíbrio. Tem que haver um ponto onde o exagero pare para tornar as coisas menos fantasiosas. 
Sempre tive essa mania meio besta e totalmente equivocada de me oferecer de mais e fazer tudo por um sorriso. E cá pra nós, um sorriso é como aquele raio de Sol em meio a tempestade ou o floco de neve no deserto. Eis o sorriso de gratidão, é claro.
Mas passar tanto tempo atrás de outros sorrisos e me doar tanto por isso, mesmo que me alegrasse não preenchia. Como aquela vela defeituosa que precisa de outras para manter-se acesa, ela ilumina igual, mas necessita constantemente ser auxiliada.
Talvez agora eu tenha encontrado o tal do equilíbrio, e não me refiro ao utópico, inalcançável,  mas o necessário e satisfatório. 
Talvez isso aconteça com todo mundo que esteja cansado de chorar por quem não vale as lágrimas, por mais que seja uma pessoa valiosa. Não derramamos a mesma quantia de lágrimas por um pedaço de ouro e por nosso animal de estimação que já se foi. 
Você se sente bem quando perccebe que correr atrás do que te faz bem é melhor do que estar constantemente na linha de fogo tentando agradar a Gregos e troianos. Diplomático sempre vou ser, mas dar um passo atrás e olhar com quem deve-se exercer diplomacia ajuda. 
É a questão da auto confiança. Como você supõe confiar em alguém se não confia em si mesmo? 
Quando você descobre que dá tudo de si pra quem não quer nem um pedaço e há outros dando muito mais do que você pensou em oferecer, tudo para te ver sorrir, você entende o valor que tem. Correr atrás de quem não te quer bem, ou no mínimo não se esforça pra tornar seu dia, por pouco que seja mais confortável, tira toda a confiança que você pode ter em si mesmo.
Não adianta então amar ao próximo, se você não ama a si mesmo. Se sua insegurança é maior do que sua vontade de amar. Não adianta caçar borboletas se você não tem um jardim bonito para elas viverem.
Correr atrás do que é bom para você só te faz bem, quando aquilo não prejudica a ninguém... ninguém incluindo a você mesmo.
Chame de egoísmo ou de palavras tolas, tipo mimimi, mas eu aprendi assim, (que a flor do campo é o alecrim) que antes de dar a cara a tapa, eu devo saber que há chance real de eu realmente quebrá-la e blá blá blá...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião, vamos todos filosofar juntos hahaha